Sobre

“Não me lembro de um tempo em que não estivesse escrevendo alguma coisa”

O Incoerente foi criado há alguns anos como um blog de humor e cotidiano. Meus principais objetivos eram o de me expressar e, de alguma forma, exercitar a minha escrita. A temática mudou, os objetivos não.

O nome — que gosto muito — e o domínio, se mantiveram durante todo esse tempo. Mas o blog passou por alguns abandonos, reformulações e recomeços, até que eu ficasse satisfeito com a forma e conteúdo que é publicado aqui.

Tenho ciência de que a temática escolhida, Cultura Pop, talvez seja o assunto mais explorado, as vezes esgotado, de toda a internet. Mas também estou ciente da relevância, contexto e discussões importantes em torno do tema. Acredito veemente que tenho algo a acrescentar, faço da melhor forma que consigo e sempre aprendo muito neste processo.

Escrever e publicar sobre as séries, filmes, livros e quadrinhos que acompanho, é a forma que encontrei de dar vazão a quantidade de informações consumidas. São conteúdos que devem ser racionalizados e debatidos, para que as sensações e experiencias de uma obra, fixem na memória e possam ser compartilhadas. Do contrário… todos esses momentos se perderão no tempo, como lágrimas na chuva.

O Incoerente também supre uma necessidade, quase egocêntrica, de ter o meu espaço, do meu jeito. As redes sociais, o YouTube incluso, sufocaram os blogs em alcance e influência, dissolveram a blogosfera e mudaram os hábitos de busca e consumo de conteúdo online. São ferramentas incríveis, mas que não possuem o mesmo nível de personalização, controle e independência que um um bom e velho blog possui. 

Sobre o Autor

Não me lembro de um tempo em que não estivesse escrevendo alguma coisa. Quando criança, gostava de criar personagens, aventuras e histórias em quadrinhos. Depois, passei a escrever revistas e fanzines. Afinal, uma criança da rabeira dos anos 90, cuja melhor amiga era uma Semp Toshiba de 14 polegadas e 50 meses de garantia, tinha muito a dizer.

A internet só entrou na equação em 2011, aos meus 14 anos de idade. O caminho até o universo dos blogs era inevitável e, no mesmo ano criei o primeiro deles. O Blogspot foi uma mãe. Criei vários nos anos seguintes, sozinho ou com os amigos. Escrevi sobre o cotidiano, tentei fazer comédia e até filosofei, antes de escrever sobre cultura pop.

A faculdade de Radio e TV foi um marco. Ali notei o quanto o audiovisual era importante pra mim. E, depois de anos de enrolação, reformulações, desistências e recomeços, estou aqui.

Seja bem vindo ao Incoerente e ao que ele se tornou. Seja lá o que isso for.

Samuel Patrian,
São Paulo, 30 de Julho de 2020.

%d blogueiros gostam disto: